Vanessa Grazziotin lembra Dia de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes 

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) lembrou que nesta quarta-feira (18) é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, criado no ano 2000. Ela explicou que esse dia foi escolhido porque, em 1973, a menina Araceli Cabrera Sanches, com apenas oito anos de idade, foi seqüestrada, drogada, violentada e assassinada em Vitória, capital do Espírito Santo.

– O corpo da menina foi encontrado seis dias depois do desaparecimento. Não se tem notícia até hoje que os culpados tenham sido punidos – relatou, detalhando a crueldade do crime.

Vanessa Grazziontin disse que as crianças nascem para crescer, estudar, brincar, serem bem alimentadas e felizes, e não para serem vítimas desse crime que resulta em danos irreparáveis para o desenvolvimento físico, psíquico, social e moral. Ela ressaltou que, entre outras consequências, as vítimas estão sujeitas à dependência de drogas, à gravidez precoce e indesejada, a distúrbios comportamentais e doenças sexualmente transmissíveis.

– É uma prática inescrupulosa que lhes tira a inocência, a capacidade de sonhar e, muitas vezes, a liberdade e a própria vida, como no caso da menina Araceli – afirmou.

A senadora assinalou que na cidade de Manaus várias atividades de combate ao abuso e exploração de menores integram uma programação que faz parte da Campanha Nacional de Combate à Violência e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, desenvolvida pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Segundo ela, essa questão é tratada como prioridade no governo Dilma Rousseff.

Vanessa disse ainda que a programação nacional teve inicio hoje, às 14h, com uma solenidade do Palácio do Planalto, que teve a presença de representantes do governo e da sociedade civil. No evento, pessoas e entidades foram agraciadas com o Prêmio Neide Castanha de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e foi lançado o caderno temático Direitos Sexuais são Direitos Humanos. Após o evento, os participantes seguiram pela Esplanada dos Ministérios com a caravana “Siga Bem Criança”, ao lado de 1300 crianças e adolescentes de diversas instituições e escolas do Distrito Federal e entorno.

Da Redação / Agência Senado