Toffoli participa da cerimônia dos 364 anos do Exército Brasileiro (19/04/2012)

Toffoli participa da cerimônia dos 364 anos do Exército Brasileiro (19/04/2012)

TIRO DE GUERRA

O prefeito Ticiano Toffoli participou na manhã desta quinta-feira (19), no Tiro de Guerra de Marília, das comemorações dos 364 anos do Exército Brasileiro, que foram realizadas em todas as unidades do país.

O Exército foi criado no dia 19 de abril de 1648 durante a Batalha de Guararapes, quando o povo brasileiro se uniu para combater as forças estrangeiras que tentavam dominar o país.

Na cerimônia desta quinta-feira estiveram presentes também o historiador da FEB (Força Expedicionária Brasileira), Antônio César Lange; o colaborador emérito do Exército, Acássio José Veríssimo; e Maria Anita Shilic, representando o grupo Anjos da Guarda; além do Assessor Especial de Assuntos Estratégicos, José Carlos de Souza Bastos, o Beca.

Além da comemoração dos 364 anos do Exército, a solenidade serviu também para a entrega do Sutache, que é a tarja de identificação dos atiradores, feita pelos próprios familiares.

Ticiano Toffoli falou sobre a importância da comemoração. “É uma data importante, pois o Exército é uma das instituições mais antigas do país e de maior credibilidade. Houve uma união de brancos, negros e índios para se criar o Exército. Estivemos aqui para comemorar juntos os 364 anos do Exército Brasileiro.”

Toffoli lembrou que a Prefeitura é uma parceira do Tiro de Guerra. “Temos funcionários aqui e também na Junta Militar, onde é feito o alistamento. Além disso,. colaboramos também na manutenção da estrutura física do Tiro de Guerra. Só tenho que agradecer ao subtenente França e ao sargento Ademar, que ajudam a engrandecer a cidade de Marília. Parabenizo também a todos os atiradores.”

O subtenente Marcus Vinícius França, chefe de instrução do Tiro de Guerra, falou sobre a data. “Hoje estamos fazendo esse evento, que acontece em todos os quartéis do nosso país, para comemorar os 364 anos do Exército. Aproveitamos a oportunidade para fazer a entrega do sutache, que é o nome de “guerra” e de família dos nossos atiradores, trazendo também os familiares para o Tiro de Guerra.”

França destacou o trabalho realizado no Tiro de Guerra. “A base da instrução não é só voltada para a instrução básica militar, mas principalmente para o culto à família, ao civismo e à cidadania. Temos um plano de palestras, onde a gente procura passar o máximo de informação aos nossos atiradores, como inserção no mercado de trabalho, primeiros socorros e direção defensiva. O objetivo não é só formar o militar, mas principalmente o cidadão. Iniciamos o ano com 100 atiradores e estamos com 95 ativos.”

Fotos: Mauro Abreu