Rio inaugura Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento


O Cepe Pró-Idoso é um projeto da secretaria gerenciado pelo Instituto Vital Brazil

No Dia Internacional do Idoso, o governo do Estado do Rio inaugurou oficialmente o Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (Cepe Pró-Idoso), na Gávea. O Cepe Pró-Idoso está em funcionamento desde abril e reúne profissionais de saúde, universidades e sociedade civil para realizar estudos, pesquisas e formar profissionais, além de fazer atendimento clínico. No evento, o secretário de Saúde Sérgio Côrtes anunciou a criação do Centro de Trauma do Idoso, no Hospital São Francisco, na Tijuca.

O Cepe Pró-Idoso é um projeto da secretaria gerenciado pelo Instituto Vital Brazil. O espaço promove simpósios, seminários, sessões clínicas para profissionais da saúde, curso de especialização em geriatria e gerontologia, e de cuidadores de idosos para quem quer trabalhar na área e para os familiares. O governador Sérgio Cabral classificou o novo espaço como um legado para o Rio e anunciou uma licitação de R$ 5 milhões em pesquisas para o setor através da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

– Eu dediquei muito da minha vida pública à causa da terceira idade e verificar a instalação desse centro é um legado importante na formação de mão de obra na área da saúde especializada para o idoso, para a geriatria. Desde o auxiliar de enfermagem, ao enfermeiro, ao médico, ao mestrando, ao doutorando. Esse centro se torna um polo do conhecimento da terceira idade – disse o governador.

Com cerca de 13% da população com mais de 60 anos, o Estado do Rio é o pioneiro no lançamento de um centro desse tipo. De acordo com o secretário de Saúde Sérgio Côrtes, o espaço tem o objetivo de garantir mais qualidade de vida para a terceira idade e entender a mudança demográfica com o aumento da expectativa de vida do brasileiro.

– O centro não visa só o atendimento ambulatorial, visa pesquisa, um estudo de como o Brasil está envelhecendo, principalmente o Rio de Janeiro. Temos aqui pesquisadores de várias universidades, profissionais capacitados para atender esses pacientes que vem indicados pela atenção básica e a partir daí passamos a fazer protocolos específicos no que diz respeito a prevenção – explicou.

Em seis meses, o centro já realizou cerca de 1.500 consultas, 75 eventos, curso de introdução a Geriatria e Gerontologia para profissionais da Saúde pública, curso de capacitação básica de cuidadores de idosos para familiares, curso profissionalizante de cuidador, e de formação de instrutores. O diretor geral da unidade, Luiz Mauricio Plotkowski destacou que há muitos planos para o Cepe, como criar centros de atenção e polos nos municípios do interior, um laboratório de marcha, novos cursos de especialização, e telemedicina para dar assistência remota para profissionais do interior.

Vida nova

Aos 78 anos, a aposentada Efigênia Augusta da Silva, comemora dias mais alegres ao lado das novas amigas. Depois de sofrer meses com depressão, ela reencontrou a vontade de viver fazendo exercícios e hoje se trata no Cepe Pró-Idoso.

– Eu não queria sair da cama, não tinha vontade de nada. Então, um médico me encaminhou para o tratamento com atividade física. Faço esteira, bicicleta e muitas amigas. Formamos um grupo unido, uma família, junto com os profissionais daqui, que são muito carinhosos e atenciosos – contou.