Olimpíada da Língua Portuguesa incentiva leitura e escrita

A Olimpíada da Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, que ocorre a cada dois anos, está na segunda edição. O objetivo é contribuir para a formação de professores com vistas à melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras.

A primeira edição, realizada em 2008, alcançou seis milhões de alunos. O concurso teve origem no programa Escrevendo o Futuro, desenvolvido pela Fundação Itaú Social entre 2002 e 2006. Atualmente, é realizado em parceria do Ministério da Educação com a Fundação Itaú Social e o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec).

Na edição de 2008, o número de professores inscritos chegou a 202.280. Eles representaram 55.570 escolas de 5.445 municípios. No estado de São Paulo, o total de escolas inscritas foi de 6.677. Chegaram à etapa semifinal 56 professores paulistas, cada um com um aluno.

Professora do oitavo ano, Daniela Teles, de Ipuã, no nordeste paulista, foi uma das vencedoras da edição de 2008. Ela trabalhou com os alunos o gênero memórias.

– A metodologia os atraiu. Eles puderam entrevistar pessoas importantes da cidade e descobrir fatos curiosos -, afirma Daniela.

– Além disso, refletiram sobre a escrita.

Este ano, uma das novidades da olimpíada é a participação de alunos matriculados no nono ano (oitava série) do ensino fundamental e no primeiro ano do ensino médio de escolas públicas. Eles concorrerão com textos do gênero crônica.

As demais categorias permanecem como em 2008 — estudantes do quinto e sexto anos (quarta e quinta séries) participarão com textos do gênero poesia; do sétimo e oitavo anos (sexta e sétima séries), gênero memórias literárias. No ensino médio, os alunos do segundo e do terceiro anos devem concorrer com artigos de opinião.

O tema para as redações em todas as categorias é O Lugar Onde Vivo, destinado a valorizar a interação das crianças e jovens com o meio em que crescem. Ao desenvolver os textos, o aluno resgata histórias, aprofunda o conhecimento sobre a realidade e estreita vínculos com a comunidade.

Em 2010, uma coleção didática da olimpíada foi enviada a todas as escolas públicas do Brasil. O material é composto por cadernos de orientação ao professor (propõem uma sequência didática para o ensino da leitura e produção de textos), coletânea de textos e cd-rom multimídia para quatro diferentes gêneros textuais (poema, memórias, artigo de opinião e crônica).

Na olimpíada, alunos e professores participarão de etapas escolares, municipais, estaduais e regionais e da nacional. Serão selecionados 500 textos semifinalistas na etapa estadual, 152 na regional e 20 na nacional.

Tanto o estudante quanto o professor serão premiados. Os 500 escolhidos na fase estadual receberão medalhas e livros; os 152 finalistas, medalhas e aparelhos de som. Os 20 vencedores da etapa nacional ganharão medalhas, microcomputadores e impressoras.

Para que os professores se inscrevam, as secretarias estaduais e municipais precisam aderir ao concurso. As adesões e inscrições foram prorrogadas até o dia 7 de junho e são feitas na página eletrônica da Olimpíada.

Comentários

  1. E ai, vamo ver se a nossa Escola consegue ter um bom resultado. Porque eu nunca fiz uma Olimpíada, dessa mais vamos ver se a gente consegue ganhar ou ter otimos textos, crônicas, poemas, e…
    Escola Municipal João Gualberto de Souza.
    Aluno: Pedro Henrique de Moura Santos. 13 anos. Trabalho. e Estudo….
    Série: Sétima
    Professora: Maria José de Almeida (Cordenadora).