Geleião, fundador do PCC, deve deixar a prisão de SP

23/5/2003 1:35
Redação


O preso José Márcio Felício, o Geleião, e sua mulher, Petronilha Felício, devem deixar o sistema prisional do Estado de São Paulo.

A proteção foi uma das condições impostas pelo fundador e ex-líder do PCC, jurado de morte pela facção criminosa desde o ano passado, para delatar os crimes de seus ex-comparsas.

Segundo o promotor de Justiça Márcio Sérgio Christino, do Gaeco, que acompanha o processo, houve um acordo para que Geleião e sua mulher deixassem o Estado logo depois de seu depoimento à Justiça. Ainda não foi divulgado o estado que eles irão.

O secretário da Administração Penitenciária de São Paulo, Nagashi Furukawa, afirmou, durante o depoimento de Geleião ontem à Justiça, que não comentava transferência de preso em andamento por questão de segurança.

Geleião é condenado a mais de 60 anos de prisão, segundo Christino, e Petronilha está presa desde outubro do ano passado sob acusação de envolvimento em atentados do PCC.






Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.

Deixe um comentário