Diminui o otimismo das famílias com a economia, aponta Ipea

Vinicius Konchinski
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – A avaliação dos brasileiros sobre o futuro da economia e da sua situação financeira piorou nos primeiros quatro meses deste ano, segundo indicador o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Índice de Expectativas das Famílias (IEF), que mantinha tendência de alta desde agosto do ano passado, inverteu sua trajetória em janeiro e já acumula baixa de 5,3% em 2011.

Em abril, de acordo com o relatório do IEF divulgado hoje (5) pelo Ipea, a expectativa geral das famílias brasileiras registrou 63,8 pontos, de uma escala que vai de 0 a 100. O indicador ainda aponta otimismo, porém em seu menor grau desde outubro do ano passado (63,4).

A queda no IEF reflete mudanças nas avaliações de itens que compõem o índice. O presidente do Ipea, Marcio Pochmann, disse que as expectativas da população sobre diferentes fatores da economia pioraram desde janeiro.

Segundo Pochmann, movimento parecido com o da expectativa sobre a economia para os próximos 12 meses foi verificado também na avaliação das famílias sobre sua situação financeira.

Pochmann ressaltou ainda a diferença de expectativas entre famílias mais pobres e mais ricas. Em dezembro, 55% das famílias com renda mensal de um salário mínimo (R$ 545 atualmente) tinham expectativa de melhora da economia nos próximos 12 meses. Em abril, esse percentual caiu para 50,4%.

Já entre as famílias com renda de mais de dez salários mínimos mensais (R$ 5.450), 61,5% esperavam melhora da economia na pesquisa de dezembro. No mês passado, o percentual subiu para 66,4%.

 

 

Edição: Rivadavia Severo
 

Economiaexpectativa das famíliasipea