ONU expõe abuso sexual de crianças no Vaticano e Santa Sé responde

5/2/2014 13:00
Por Redação, com Reuters - de Roma


Os especialistas da ONU para os direitos das crianças disseram que a Santa Sé deve também entregar seus registros

Os especialistas da ONU para os direitos das crianças disseram que a Santa Sé deve também entregar seus registros

A Organização das Nações Unidas (ONU) solicitou nesta quarta-feira que o Vaticano “remova imediatamente” todos os clérigos conhecidos ou suspeitos de abuso infantil e os conduza às autoridades civis, em um relatório de contundência sem precedentes.

Os especialistas da ONU para os direitos das crianças disseram que a Santa Sé deve também entregar seus registros sobre o abuso sexual de dezenas de milhares de crianças para que os culpados, assim como “aqueles que ocultaram seus crimes”, possam ser condenados.

O texto excepcionalmente duro do comitê a mais ampla crítica à hierarquia da Igreja já feita pela ONU foi divulgado após o interrogatório público que conduziu com autoridades do Vaticano no mês passado.

– O comitê está gravemente preocupado que a Santa Sé não tenha reconhecido a extensão dos crimes cometidos, não tenha tomado as medidas necessárias para lidar com os casos de abuso sexual de crianças, e tenha adotado políticas e práticas que levaram à continuação do abuso e à impunidade dos responsáveis – disse o relatório.

Espera-se que o Vaticano emita um comunicado sobre o relatório até o final desta quarta-feira.

O comitê da ONU sobre os Direitos das Crianças disse que a Igreja Católica ainda não tomou medidas para prevenir a repetição de casos tais como o escândalo das lavanderias Magdalene, na Irlanda, onde meninas foram arbitrariamente colocadas em condições de trabalho forçado.

Proteção do Vaticano

O Vaticano, em resposta a um severo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre o abuso sexual contra crianças cometido por padres, disse nesta quarta-feira que a Igreja Católica Romana está comprometida em “defender e proteger os direitos das crianças”.

Um comunicado afirma que o Vaticano vai submeter o relatório da ONU a “estudos e exames”, mas também diz que a entidade mundial está interferindo em ensinamentos morais católicos, porque o documento critica as posições da Igreja sobre homossexualidade, contracepção e aborto.






Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.

Deixe um comentário