“Duro de Matar 5″ ganha de história de amor na bilheteria dos EUA

19/2/2013 13:59
Por Redação, com Reuters - de Los Angeles, EUA


O quinto filme da franquia de Bruce Willis "Duro de Matar" teve a maior atividade na bilheteria no feriado de final de semana dos EUA

O quinto filme da franquia de Bruce Willis “Duro de Matar” teve a maior atividade na bilheteria no feriado de final de semana dos EUA

O quinto filme da franquia de Bruce Willis Duro de Matar teve a maior atividade na bilheteria no feriado de final de semana dos EUA, ganhando da história de amor Safe Haven, que ficou em terceiro lugar no período de sexta-feira a domingo. A Good Day to Die Hard, com Willis voltando como o teimoso e perspicaz herói, John McClane, arrecadou US$ 25 milhões nos cinemas dos EUA e Canadá de sexta-feira a domingo, de acordo com as estimativas do estúdio.

Espera-se que a cifra chegue perto de 40 milhões de dólares até segunda-feira, feriado do Dia do Presidente nos EUA. Duro de Matar bateu Safe Haven, uma adaptação do romance de Nicholas Sparks que pretendia atrair os casais na semana do Dia dos Namorados. O filme, estrelado por Julianne Hough e Josh Duhamel, arrecadou US$ 21,4 milhões em três dias.

O ganhador da bilheteria do fim de semana passado, a comédia de Melissa McCarthy Identity Thief, se manteve firme e acabou ficando com o segundo lugar, com US$ 23,4 milhões. Willis venceu com a reprise do papel que ele já interpretou quatro vezes, começando com o Duro de Matar original, em 1988. Esses filmes arrecadaram US$ 1,1 bilhão em todo o mundo e fizeram de Willis um astro de filmes de ação conhecido mundialmente.

No novo filme, McClane viaja para a Rússia para ajudar seu filho, de quem está distante, um agente da CIA, interpretado por Jay Courtney, em uma luta para evitar um roubo de armas nucleares.

Chris Aronson, presidente da distribuição nacional do estúdio 20th Century Fox, disse que o desempenho do filme estava “de acordo com nossas expectativas”, que eram de perto US$ 40 milhões para o período de cinco dias.

O público foi de cerca de 55%  do sexo masculino e 45%  do sexo feminino, com pouco mais de um terço abaixo de 25 anos e dois terços com 25 anos ou mais, o que Aronson disse que estava de acordo com o resultado obtido no último filme da série. “Isso mostra a consistência da base de fãs”, disse ele.






Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.

Deixe um comentário