Publicidade

Deputados, policiais e bombeiros tentam reunião com Marco Maia

5/7/2011 17:05
Por Agência Câmara


Um grupo formado por deputados da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e por representantes de policiais e bombeiros segue neste momento para a Presidência da Câmara. Eles vão tentar se reunir com o presidente Marco Maia para cobrar a votação da proposta que prevê piso nacional para as categorias (PEC 300/08).

Durante reunião da comissão nesta tarde, vários deputados defenderam a aprovação da PEC em segundo turno. O deputado Delegado Waldir (PSDB-GO) criticou a oposição de governadores. “Se os governadores não querem votar essas propostas, precisam se lembrar de que a proteção da primeira-dama e a segurança nas escolas fica sob responsabilidade dos policiais”, disse.

Domingos Dutra (PT-MA) ressaltou que a oposição ao piso salarial vem de todos os partidos, não apenas da base da presidente Dilma Rousseff. “Hoje noticiam que o governador Geraldo Alckimin, do PSDB de São Paulo, reuniu-se com deputados do partido para pedir atenção a essa proposta”, disse.

Já o deputado Fernando Francischini (PSDB-PR) ressaltou que a defesa da PEC não é corporativismo de policiais, mas sim uma pauta da sociedade. “O aumento do salário acaba com a corrupção”, disse.

Continue acompanhando esta cobertura.

Tempo real:16:21 – Sem data para votar PEC 300, policiais e bombeiros ameaçam paralisação15:39 – Para deputado, comissão especial da PEC 300 “não tem sentido”15:19 – Projeto do Pronatec inviabiliza votação da PEC 300, diz líder do PR15:04 – Policiais querem reunião com Marco Maia e definição sobre PEC 30012:32 – Associação de Cabos e Soldados pede votação da PEC 30011:59 – Marco Maia diz que aumento de policiais depende de acordo09:21 – Comissão de Segurança se reúne hoje com policiais para debater PEC 300Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Daniella Cronemberger




Os comentários às matérias e artigos aqui publicados não são de responsabilidade do Correio do Brasil nem refletem a opinião do jornal.

Deixe um comentário